13º salário será usado mais com presentes e compras do que para pagar dívidas, aponta pesquisa

13º salário será usado mais com presentes e compras do que para pagar dívidas, aponta pesquisa

Neste ano, mais brasileiros irão usar o 13º salário para compras presentes, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (27) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O percentual que pretende gastar ao menos uma parte do dinheiro extra com presentes aumentou para 32%, ante 23% no ano passado.


Em segundo lugar, com 24% das intenções, aparece a opção de poupar ou investir os recursos do 13º salário, seguido daqueles que pretendem destinar o dinheiro extra para as comemorações de Natal e ano novo (22%). Em contrapartida, o pagamento de dívidas em atraso é apenas a quarta opção mais citada, com 15%.

Entre as principais destinações do 13º salário, 15% disseram ainda que vão priorizar o pagamento de contas básicas, como água e luz, por exemplo. Outros 14% responderam que vão realizar alguma viagem, 12% disseram que irão antecipar o pagamento de contas e dívidas que não estão em atraso e 11% planejam usar o dinheiro para compras do dia a dia.
A pesquisa ouviu 686 consumidores nas 27 capitais. A margem de erro é de até 4 pontos percentuais.

Prazo para pagamento da 1ª parcela do 13º salário termina na sexta-feira; veja como funciona
 
Mesmo com o relativo maior otimismo do brasileiro em gastar neste Natal, a recomendação daSPC Brasil é que consumidores inadimplentes procurem usar o 13º salário para quitar dívidas com o pagamento pendente e, assim, recuperar o crédito na praça.
 

"A prioridade deve ser sempre sair do vermelho e evitar pagamento de juros que se acumulam. Se o consumidor tem apenas uma dívida em aberto, é mais fácil resolver o problema com a chegada deste dinheiro extra. Caso exista mais de uma, a regra geral é priorizar as dívidas que têm os juros mais altos como, por exemplo, cheque especial e cartão de crédito”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.
 

Os educadores financeiros recomendam ainda que os consumidores evitem dividir as compras em muitas parcelas para não sobrecarregar o orçamento com as contas de início de ano. “O ideal é fugir dos parcelamentos e negociar descontos atrativos nas lojas, preferencialmente pagando à vista. Pechinchar deve ser um hábito permanente do consumidor. As famosas lembrancinhas também podem ser um recurso útil para quem quer presentear sem gastar muito”, afirma o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.
 

52% pretendem fazer ‘bicos’ para comprar mais presentes
 
A pesquisa mostra também que 52% dos entrevistados pretendem fazer bicos ou outras atividades para garantir um dinheiro extra neste fim de ano e, assim, garantir a compra de mais presentes ou de melhor qualidade.
 

Feirão de renegociação das dívidas vai até 15 de dezembro
 
Para ajudar os consumidores que possuem contas em atraso a recuperarem seu crédito na praça, o SPC Brasil promove até o dia 15 de dezembro um Feirão On-line de Renegociação das dívidas. Para participar, basta acessar o site www.spcbrasil.org.br/feirao e se cadastrar.
"As condições especiais vão desde um parcelamento maior ou um novo prazo para quitar a dívida, até descontos de 90%", informa o SPC Brasil. Fonte G1