Com 115 casos positivos de dengue, Paraguaçu intensifica campanha nas escolas

Com 115 casos positivos de dengue, Paraguaçu intensifica campanha nas escolas

Um parceiro eficaz na luta contra a dengue é a criança. Curiosa, atenta e propagadora de cuidados e informações. Foi de olho nesse parceiro em potencial que os Departamentos de Saúde e de Educação, Esporte e Lazer de Paraguaçu Paulista têm investido em uma ação eficaz na luta contra a dengue: a formação de agentes mirins nas escolas municipais.


Com palestras realizadas em todas as escolas da rede municipal de educação, a equipe de controle de vetores do Departamento de Saúde tem levado informação correta, conscientização e responsabilidade às crianças para que saibam e informem seus pais e familiares que a prevenção é a única forma possível de eliminar os criadouros de Aedes aegypti.

 

Atualmente, até o dia 4 de março, Paraguaçu Paulista, tem 354 notificações de casos dengue, sendo 115 positivos, 137 negativos e 102 em investigação.

 

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica do Departamento de Saúde, Gisele de Oliveira, informa que do dia 27 de fevereiro até o dia 4 de março houve uma queda de 60% de notificações de casos suspeitos de dengue. “Creditamos essa diminuição nas últimas duas semanas às ações preventivas com educação nas escolas, além do trabalho com os agentes de saúde e endemias que é feito casa a casa, todo dia”, relata Gisele de Oliveira.

 

O coordenador da equipe de controle de vetores da Vigilância Municipal em Saúde de Paraguaçu Paulista, Josué Campos Sena, é quem tem desenvolvido também as ações junto às escolas municipais, por meio de uma parceria com o Departamento de Educação, Esporte e Lazer.


“Nas palestras e atividades com as crianças, reforçamos que a dengue pode ser evitada com cuidados simples. Os focos do mosquito estão em recipientes que podemos remover, aqueles que podemos colocar num lugar coberto, ou de boca para baixo, dá para mexer, dá para guardar, para secar. Esses recipientes são os bebedouros de animal, pratinhos de plantas, latas, baldes, regadores de plantas, brinquedos, pneus que ainda estão em uso, por exemplo. São objetos como aquele balde ou aquele brinquedo que representam os 75% dos recipientes móveis no quintal das casas que têm a maior partes dos criadouros de dengue em Paraguaçu Paulista”, orienta Josué. Fonte: Prefeitura