Janeiro Roxo é o mês de conscientização sobre a hanseníase

Janeiro Roxo é o mês de conscientização sobre a hanseníase

Durante o mês de janeiro é realizada a campanha anual de combate à Hanseníase, mês intitulado como “Janeiro Roxo”, para conscientização sobre a doença. Em Paraguaçu Paulista também é realizada Campanha de Combate e Prevenção para o tratamento precoce e enfrentamento da hanseníase, por meio da Vigilância Epidemiológica do Departamento Municipal de Saúde.

Dentre as atividades está a conscientização para o compromisso em controlar a hanseníase ao celebrarmos em todo último domingo de janeiro o Dia Mundial de Combate a Hanseníase.

No Brasil, a Lei Federal 12.135 de 2009 instituiu o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase. Em 2020, o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, será Dia 26 de janeiro.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica do Departamento de Saúde, Gisele de Oliveira, destaca que a celebração ao Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase é uma data que deve “reforçar o compromisso em controlar a hanseníase, oferecer o diagnóstico e o tratamento corretos, além de difundir informações e desfazer o preconceito”.

Desde 2016 o Ministério da Saúde oficializou o mês de janeiro e a cor roxa para campanhas educativas em todo o país. “Essa iniciativa é importante para que a população tenha mais informações sobre a doença e para que ocorra uma intensificação de busca ativa de doentes, com o tratamento oportuno e interrupção da cadeia de transmissão da mesma. Apesar dos esforços dispensados para o seu combate, a hanseníase ainda se mantém endêmica e constitui um problema de saúde pública no Brasil”, informou Gisele.

O Brasil é o país em segundo lugar no Mundo com maior número de casos novos da doença, (28 mil em 2018 - SVS/Ministério da Saúde) atrás somente da Índia, (120 mil em 2018 - WHO). Em 2018 foram detectados 1705 casos (6%) em crianças e adolescentes.

A doença tem controle e ao iniciar o tratamento o paciente deixa de transmitir a doença

A Hanseníase é uma doença crônica, transmissível, causada por uma bactéria, o Mycobacterium leprae. Na maioria dos casos, a doença acomete, fundamentalmente, pele e nervos periféricos. O surgimento de incapacidades físicas é um dos aspectos importantes da doença e os principais sinais e sintomas são: manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou acastanhadas com alteração de sensibilidade, (térmica, dolorosa ou tátil) áreas da pele sem pelos e ressecadas que não pegam pó e não coçam, áreas com formigamento ou dormência etc.

O tratamento é realizado em Unidades de Saúde e ao iniciar o tratamento o paciente deixa de transmitir a doença para outras pessoas. O diagnóstico precoce e o tratamento regular, constitui um dos pilares para o controle da doença interrompendo assim a cadeia de transmissão.

Todos os contatos domiciliares dos casos devem passar por consulta para serem examinados e receberem orientações sobre o período de incubação, transmissão e sinais e sintomas precoces da hanseníase.

As Campanhas de combate à hanseníase ocorrem anualmente no Estado de São Paulo com a participação de todos os Grupos de Vigilância Epidemiológica, Unidades de Saúde e Vigilâncias Municipais. O objetivo da campanha é alertar a sociedade civil sobre os sinais e sintomas da doença e mobilizar os profissionais de saúde quanto à busca ativa para diagnóstico precoce e prevenção de incapacidades. Fonte: Prefeitura