Justiça condena massoterapeuta acusado de pedofilia a mais de 11 anos de prisão em Garça

Justiça condena massoterapeuta acusado de pedofilia a mais de 11 anos de prisão em Garça

A Justiça de São Paulo condenou o massoterapeuta José Luiz de Oliveira, conhecido como “Zelão”, a pena de 11 anos e oito meses de reclusão em regime fechado. Ele foi detido pelos crimes de favorecimento de prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável.

A condenação foi publicada no Diário Oficial nesta segunda-feira (26).


O massoterapeuta, de 60 anos, atuava como voluntário em uma escolinha de futebol em Garça e foi preso em junho do ano passado pela Delegacia de Defesa da Mulher, suspeito de abusar dos meninos do projeto social.


Em maio deste ano, a Justiça realizou a primeira audiência de instrução para ouvir o massoterapeuta, as vítimas e diversas testemunhas. Agora, ele foi condenado a 11 anos e oito meses de prisão.
 

Entenda o caso
 
O massoterapeuta José Luiz de Oliveira era voluntário em uma escolinha de futebol que atendia crianças e adolescentes de 5 a 15 anos.


Em junho de 2018, a mãe de um dos garotos que participava do projeto social descobriu, através de mensagens nas redes sociais, que o filho estava frequentando a casa do massoterapeuta.


Outras denúncias de abuso apareceram e foram confirmadas por meio dos depoimentos, das conversas e da confissão do suspeito.

Segundo a polícia, em todos os casos, o homem atraía as crianças até a casa dele com a promessa de dar presentes e até dinheiro. Ao todo, sete meninos, entre 14 e 17 anos, teriam sido molestados pelo massoterapeuta.


Em uma das conversas com um menino de 13 anos, o suspeito diz que ama o adolescente e pergunta ao garoto se ele ainda o quer como mulher.


Em outra mensagem, ele pergunta o que o garoto precisa para ir à casa dele, passando até o número do seu cartão de crédito.
 
Justiça faz primeira audiência para ouvir massoterapeuta acusado de abusar de meninos em projeto social
Em uma das mensagens, o massoterapeuta de Garça preso por estupro de vulnerável diz que ama o adolescente e pergunta se ele ainda o quer como mulher — Foto: TV