Menor cidade de SP, Borá instala barreira sanitária após registro do primeiro caso de Covid-19

Menor cidade de SP, Borá instala barreira sanitária após registro do primeiro caso de Covid-19

A prefeitura de Borá, menor município paulista e o segundo menor do país, intensificou nesta terça-feira (9) as medidas de prevenção contra o coronavírus. Uma barreira sanitária foi montada na entrada da cidade.


A medida foi tomada depois que a Saúde municipal registrou o primeiro caso de Covid-19, na semana passada.


A barreira segue até sexta-feira (12) e o objetivo é fiscalizar veículos que entram e saem da cidade, já que muitas pessoas trabalham em outros municípios.
 
 
Na barreira, os ocupantes dos veículos tem a temperatura aferida, as mãos higienizadas com álcool em gel e também são passadas orientações sobre o uso de máscaras de proteção. Os veículos também são higienizados.

A barreira funciona das 7h às 17h no acesso para os motoristas que vem pela via que liga a cidade a Paraguaçu Paulista. Os outros dois acessos à cidade foram fechados.

As medidas de prevenção na cidade, que tem 837 habitantes, começaram no mês de março. Um novo decreto foi publicado nesta semana atualizando as regras de acordo com o plano de flexibilização do estado de São Paulo.


Borá pertence à Diretoria Regional de Saúde de Marília, portanto está na fase 2 (laranja) da retomada das atividades econômicas. O que permite a reabertura do comércio não essencial e shoppings com restrições.


Entre as principais medidas previstas no decreto, estão:
 

Suspensão dos alvarás de eventos com mais de 50 pessoas;
Aulas na rede municipal estão suspensas as aulas por período indeterminado;
Transporte intermunicipal Borá/ Paraguaçu Paulista alterou horário, ficando disponível somente os horários das 6h10 e 17h20;
Atendimento ao público feito no paço municipal e outros setores/dependências apenas das 9h às 12h;
Os atendimentos feitos na unidade básica de saúde seguem normais;
Estão restringidos/suspensos por tempo indeterminado os serviços de fisioterapia, psicólogo, dentista, nutricionista, tais profissionais apenas atenderão os casos de tratamentos com urgência e emergência;
Funcionários públicos com 60 anos ou mais trabalham em casa;
Recomenda-se aos pais e/ou responsáveis manterem seus filhos dentro de suas residências;
Recomenda-se aos estabelecimentos evitar aglomeração de pessoas;
Recomenda-se aos padres, pastores, líderes das igrejas que suspendam suas atividades.