Paraguaçu está entre as 10 melhores cidades para se viver em São Paulo

Paraguaçu está entre as 10 melhores cidades para se viver em São Paulo

Desde 2005, o sistema Firjan — Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro — realiza um estudo que classifica as cidades brasileiras com os melhores índices de qualidade vida. O ranking é elaborado exclusivamente com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde; e leva em consideração três indicadores: emprego e renda, educação e saúde. A avaliação dos municípios varia de 0 a 1. Quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento e posição no ranking. Entre as 100 primeiras cidades do ranking, 58 são paulistas. A partir desse estudo, a Revista Bula elaborou uma lista que reúne as 10 melhores cidades para se viver no estado de São Paulo. Entre elas, destacam-se Louveira, a primeira na classificação estadual e nacional; e Jundiaí, a 12ª colocada, que conseguiu a melhor posição entre as cidades com mais de 300 mil habitantes.

1 — Louveira



A cidade de Louveira faz parte da região metropolitana de Jundiaí e possui aproximadamente 44 mil habitantes. Além de ser referência em crescimento sustentável, a cidade oferece serviços de saúde e educação eficientes. Desde 2015, a rede municipal de ensino de Louveira tem nota 7 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), superando a meta do Governo Federal, que é nota 6. O município foi o primeiro do ranking, tanto na classificação por estado, quanto na classificação nacional.


2 — Olímpia



Considerado um dos polos turísticos mais importantes de São Paulo, a cidade de Olímpia recebe turistas o ano todo, atraídos pelos seus parques aquáticos e águas termais. Com uma população estimada de 55 mil habitantes, a cidade tem sua economia baseada no turismo, agroindústria e comércio. Em uma pesquisa realizada pela FGV, o município também foi considerado um dos melhores para se viver após os 60 anos. No ranking geral da Firjan, Olímpia ficou na 2ª posição.


3 — Estrela do Norte



Com aproximadamente 2.800 habitantes, a pequena cidade de Estrela do Norte é considerada calma e segura. Apesar de não contar com grandes indústrias, os setores de comércio e serviços movimentam a economia local. Em 2016, segundo o IBGE, o rendimento médio mensal dos trabalhadores de Estrela do Norte era de 2,3 salários mínimos. Além disso, a cidade oferece serviços eficientes de educação e saúde para a população. O município ocupa a 3ª posição no ranking geral da Firjan.

4 — Itatiba



O município de Itatiba, na região metropolitana de Campinas, possui cerca de 113 mil habitantes e ocupa a 9ª posição no ranking da Firjan. A cidade é arborizada, segura e oferece aos habitantes bons serviços de mobilidade urbana, saúde, educação e lazer. Itatiba é conhecida como “A Capital do Móvel Colonial”, em função das indústrias moveleiras presentes na região. A agricultura também é importante para a economia local.


5 — Itupeva



A cidade de Itupeva atingiu bons resultados nos índices de educação, saúde e renda e, por isso, foi considerada pela Firjan a 10ª melhor cidade para se viver no Brasil. A localização geográfica do município é privilegiada, atraindo grandes empresas e indústrias que movimentam a economia local. Com cerca de 60 mil habitantes, Itupeva também foi considerada pela revista “Isto É” uma das 50 cidades de pequeno porte mais desenvolvidas do Brasil.


6 — São Caetano do Sul



Bem próxima à capital do estado, São Caetano do Sul é uma das três cidades da famosa região do ABC, composta também por Santo André e São Bernardo. Com aproximadamente 150 mil habitantes, o município apresenta um alto índice de desenvolvimento humano e foi considerado o melhor para se viver no Brasil, em 2013, pelo PNUD — Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. No Ranking da Firjan, São Caetano do Sul ocupa a 11ª posição.

7 — Jundiaí



Estrategicamente localizada entre a grande cidade de São Paulo e a região metropolitana de Campinas, Jundiaí está em constante crescimento e possui atualmente 355 mil habitantes. A cidade conta com uma ótima infraestrutura urbana, além de serviços eficientes de transporte público, educação, saúde e saneamento básico. No ranking da Firjan, Jundiaí ocupa a 12ª posição, sendo essa a melhor classificação entre as cidades com mais de 300 mil habitantes.


8 — Jaguariúna



A 120 km da capital São Paulo, Jaguariúna vem atraindo muitas indústrias de tecnologia de ponta. A cidade também é conhecida como “A Capital do Cavalo”, pelo grande número de haras que possui; e faz parte do Polo Turístico do Circuito das Águas Paulista. Com 56 mil habitantes, Jaguariúna também já foi considerada a 17ª melhor cidade do Brasil para pessoas idosas viverem. No ranking da Firjan, o município ficou na 13ª posição.


9 — São José do Rio Preto



Com cerca de 434 mil habitantes, São José do Rio Preto se destaca nos setores de saúde, educação, emprego, infraestrutura e lazer. A cidade tem sua economia movida principalmente pelo setor de prestação de serviços e indústria. A localização geográfica do município, aliada aos custos de operação e oferta de mão de obra, tem atraído muitas empresas para a região. No ranking geral da Firjan, a cidade ocupa a 14ª posição.

10 — Paraguaçu Paulista



Paraguaçu Paulista é uma das 29 cidades consideradas estâncias turísticas no estado de São Paulo. Conhecida como “Cidade das Águas”, se tornou um importante polo de desenvolvimento cultural, ecológico e de lazer. Com aproximadamente 45 mil habitantes, o município tem sua economia concentrada nos setores de agricultura, avicultura, pecuária, indústria e turismo. A cidade ocupa a 15ª posição no ranking geral da Firjan.