Paraguaçu Paulista anuncia flexibilização da quarentena com abertura de salões e academias nesta quarta, 20

Paraguaçu Paulista anuncia flexibilização da quarentena com abertura de salões e academias nesta quarta, 20

A prefeitura de Paraguaçu Paulista (SP), cidade que não tem caso confirmado de Covid-19, anunciou que a partir desta quarta-feira (20) estarão valendo as regras do decreto municipal que prevê a flexibilização da quarentena em vigor em todo o estado.


No decreto, está prevista a permissão de abertura de alguns serviços considerados não-essenciais, como academias, salões de beleza e barbearias.


Segundo a prefeitura, além de permitir a reabertura deste tipo de estabelecimento, o decreto estabelece uma série de normas e regras para regular o funcionamento desses locais.
 
Para as academias, por exemplo, o decreto exige que só poderá haver um cliente a cada 9 metros quadrados, o local terá de ser higienizado pelo menos duas vezes por dia, e precisará oferecer álcool gel a seus alunos, que deverão passar sempre por medição de temperatura.

Já para os salões de beleza, a maior parte das regras é a mesma, mas há diferenças em relação ao espaço permitido, que será de 20 metros quadrados por cliente. Além disso, só poderão ser atendidos clientes com espaço de tempo de pelo menos 15 minutos.


Apesar das regras rigorosas, o decreto não especifica como será feita a fiscalização de seu cumprimento. Em reunião na manhã desta terça-feira (19), o Comitê de Enfrentamento do Coronavírus da cidade definiu que, num primeiro momento, os fiscais ficarão responsáveis apenas por uma “fiscalização educativa”, com orientações, e sem qualquer tipo de penalização através de multas.


No último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura, Paraguaçu Paulista informou não haver registro de casos confirmados da Covid-19, apenas de quatro pacientes com sintomas que são tratados como “casos suspeitos”, aguardando resultado de exames.


A cidade também realiza outras ações como forma de tentar evitar a entrada do coronavírus na cidade, como a montagem de barreiras sanitárias móveis nos acessos ao município que têm a função tanto de fiscalizar o uso de máscaras por quem chega à cidade, como de oferecer orientação às pessoas. Fonte G1