RESPOSTA A UM CONDENADO

RESPOSTA A UM CONDENADO

Eduardo Luiz Bicudo Ferraro, Presidente do Sindicato Rural de Ourinhos e Vice-Presidente da FAESP manifesta a mais profunda indignação às declarações do Ex-Presidente da República Luiz Ignácio Lula da Silva em evento realizado no Rio Grande do Sul, onde afirmou: ”...os grandes fazendeiros são ingratos e caloteiros”. Disse ainda “...que eles tem dois prazeres, quando recebem o dinheiro e quando dão calote”, e continuou: “...se eles tratassem os empregados como tratam os cavalos, os empregados estariam muito bem de vida”.

O cidadão que profere inverdades, hoje condenado por corrupção mais uma vez demonstra ignorância e desrespeito com o setor mais importante da economia nacional, que por anos tem equilibrado a balança comercial e vem pagando a conta da nação, a custa de muito trabalho e eficiência de bravos cidadãos que de sol a sol lutam incansavelmente e são os responsáveis pelos alimentos na mesa de todos nós brasileiros e de tantos outros cidadãos mundo afora.

Ultrapassamos fronteiras e exportamos com excelência e profissionalismo e tratamos sim com muito respeito e dignidade nossos colaboradores que tem seus direitos acatados. Somos convictos cumpridores da Lei e não perdemos a fé de vê-la aplicada a todos. Nós, homens do campo, temos orgulho de nossa bandeira onde figura o amarelo, o azul, branco e uma amplidão verde como nossos campos arduamente cultivados e produtivos. Se há uma atividade que pode encher de orgulho o brasileiro, é a agricultura.

Nossos negócios são realizados a céu aberto e todos podem testemunhá-la, diferente dos negócios escusos tramados a portas trancadas que chafurdam e corroem nossa história escoando todos os nossos recursos que deveriam garantir o mínimo de dignidade ao povo. Aqui no campo há muita clareza e portões abertos, que, aliás, nos coloca em risco por ausência da segurança pública, também falida, isso nos ameaça e aflige. Além do risco de ataques de vagabundos uniformizados de vermelho que se acham no direito tomar, afrontar, pilhar e destruir tudo que é conquistado com muito trabalho. Isso nos assombra. O senhor sabe disso, mas mentir para todos e sobre tudo é um hábito de sua rotina.

A despeito de suas inverdades pagamos nossas contas, em dia e cada centavo dos altos juros praticados no país. Mas continuamos produzindo, acreditando, trabalhando. É isso que homens de bem fazem. Desrespeito pelos cidadãos seja do campo ou da cidade tem o PT, que ao pilhar o país com negociatas de corrupção, tirou de nossas crianças o direito à educação, de nossos idosos o direito à assistência e à saúde e submete a população às piores mazelas, e o mais triste, tirou de todos nós o orgulho, o senhor gera indignação, desgosto e muita vergonha.

Mas se o senhor quer tratar de calote, reportemo-nos à sua vergonhosa decisão de meter a mão no bolso da nação e mandar nosso dinheiro para seus irmãos de bandeira vermelha: Venezuela, Angola, Cuba, Moçambique, financiando suas facções e ideologias socialistas com os recursos gerados por quem realmente trabalha e produz. Esses países devem dinheiro a cada um de nós brasileiros e não nos pagam. Isso é calote.

E nosso dinheiro está a serviço de nações com graves históricos de desrespeito a todo e qualquer direito civil. Esse é o seu exemplo cívico? Cinicamente o senhor traiu os brasileiros e ardiloso segue a rir por nossas costas.

O senhor é um mentiroso convicto, mas seus dias hão de estar contados, embora nos apavore a ideia de sua volta ao Planalto, nos alenta a esperança de vê-lo atrás das grades, que é onde o senhor merece estar e essa nação finalmente livre de todas as mentiras que continua proferindo Brasil afora em sua caravana do desespero.

O senhor e o PT constarão nos registros históricos como a maior vergonha que o Brasil já teve. Isso é fato.

“Tchau querido!”

 

Eduardo Luiz Bicudo Ferraro é Presidente do Sindicato Rural de Ourinhos e Vice-Presidente da FAESP