Tupã confirma segunda morte de idoso abrigado em asilo com surto de Covid-19

Tupã confirma segunda morte de idoso abrigado em asilo com surto de Covid-19

Um dia após anunciar a morte de um idoso morador de asilo onde foi detectado surto de coronavírus, a prefeitura de Tupã (SP) informou no fim da tarde desta terça-feira (14) o segundo caso de morte no local. Desta vez, uma mulher de 62 anos não resistiu às complicações da doença.


De acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde, a mulher também era atendida na Casa Emanuel.
 
Com o novo caso, sobe para cinco o número de pessoas que morreram por coronavírus em Tupã desde o início da pandemia. A cidade registra 158 casos confirmados da doença.


Diante do avanço de casos, a prefeitura decidiu estender para outros asilos o processo de testagem de idosos depois que foi detectado o surto de Covid-19 na Casa Emanuel, que precisou ser interditada.

Tupã confirma segunda morte de idoso abrigado em asilo com surto de Covid-19
Antigo hospital psiquiátrico desativado recebeu idosos depois que asilo foi interditado — Foto: TV TEM/Reprodução

Após testagem feita no local, 24 pessoas, entre idosos e funcionários, testaram positivo para coronavírus. Foram aplicados 75 exames em 46 abrigados e 29 funcionários, que resultaram em 24 resultados positivos em 15 idosos e em nove funcionários.


Depois da identificação do surto, a prefeitura iniciou no último domingo (12) o processo de mudança de prédio, transferindo os idosos para o local conhecido como antigo Hospital Dom Bosco. O processo de transferência foi encerrado nesta terça-feira (14).


Neste novo local, onde funcionava um antigo um hospital psiquiátrico que foi desativado, os idosos serão divididos em três alas: feminina, masculina, e uma terceira, de isolamento, destinada para os internos que testaram positivo para a Covid-19.


Além da Casa Emanuel, Tupã tem outros três asilos, um municipal, a Casa dos Velhos e o Recanto Vicentino.
 

Pedido do MP indeferido
 
O aumento no número de casos da Covid-19 levou o Ministério Público (MP) a pedir à Justiça no último dia 10 que a prefeitrura cumpra estritamente as regras do Plano São Paulo. Como a cidade pertence à regional de saúde de Marília, deveria cumprir as regras da fase 2 (laranja).


Desde maio, porém, a prefeitura ganhou na Justiça uma liminar que a permite definir as próprias regras e vem permitindo abertura de alguns setores que seriam proibidos pelo Plano São Paulo.


Nesta segunda-feira à noite, o Tribunal de Justiça de São Paulo indeferiu o pedido do MP e deu parecer favorável ao município nesta disputa. Fonte G1